Cursos

1) Esp. em Endodontia+Cap. em Blindagem de Dentes Tratados Endodonticamente

Data de início: 09/09/2020

Duração: 24 meses

Público alvo:

Profissionais graduados em Odontologia.

Coordenador:

Profª Drª Regina Shin, Profª Drª Marcia Porto, Profª Drª Gisele Oliveira e Prof. Dr. Manoel Machado (convidado)

Periodicidade: Semanal

Investimento Sócio APCD: 24x de R$ 1.400,00 ou 28x de R$ 1.200,00 ou 36x de R$ 1.020,00

Natureza: Teórico/Laboratorial/Clínico

Número de vagas: 12

Local: FAOA/APCD Central

Endereço: Rua Voluntários da Pátria, 547 - Santana - São Paulo/SP

Telefone: (11) 93455-3100/93484-3100/93492-3100 | regina.shin20@gmail.com

O curso de especialização em Endodontia visa oferecer aos Cirurgiões-Dentistas clínicos, um aprimoramento técnico-científico na área de Endodontia, tornando-os aptos a atuarem como especialistas capacitados para elaboração de diagnósticos precisos, tratamentos e retratamentos endodônticos, além de possíveis complicações, que atendam aos padrões de alta qualidade técnica e tecnológica (Microscopia Operatória, Instrumentação Mecanizada, Obturação Termoplastificada, Ultrassom, Localizador Foraminal e Tomografia Computadorizada Cone Beam - TCCB) de uma casuística diversificada, incluindo-se os casos considerados mais complexos no âmbito desta especialidade clínica.

Anatomia dental e cirurgia de acesso

Anatomia Dental Interna
1. Morfologia Externa de Cada Grupo Dental;
2. Morfologia Interna de Cada Grupo Dental;
3. Componentes Anatômicos Básicos e suas características:
- Câmara Pulpar;
- Canal Radicular;
- Região Apical.
4. Variações de Forma e Volume:
- Alterações Morfológicas de Ordem Fisiológicas;
- Alterações Anatômicas de Ordem Patológicas.
5. Anatomia Radiográfica.
- Introdução
- Princípios Fundamentais
- Instrumental
4. Diretrizes:
- Acesso à câmara pulpar;
- Ponto de eleição;
- Direção de Trepanação;
- Preparo da câmara pulpar;
- Remoção do Tecido cariado;
- Forma de conveniência;
- Tratamento das paredes de esmalte;
- Esvaziamento da câmara pulpar;
- Limpeza da cavidade;
- Preparo das entradas dos canais

5. Erros de Preparo: Acidentes e Limitações:
- Acesso à câmara pulpar e ao ecossistema de canais radiculares;
- Condições relacionadas à normalidade;
- Cirurgia de acesso frente as grandes áreas de destruição;
- Ocorrências de calcificações pulpares;
- Princípios relacionados à cirurgia de acesso aplicados a dentes atípicos.

Determinação do Comprimento de Trabalho

1. Odontometria;
2. Aspectos correlacionados a anatomia apical de dentes jovens;
3. Condição da vitalidade pulpar (limite apical);
4. Áreas de reabsorção periapical;
5. Fatores anatômicos limitadores a uma adequada mensuração;
6. Princípios e aplicação de técnicas radiográficas convencionais;
7. Princípios e aplicação da técnica eletrônica;
8. Localizadores apicais (histórico, gerações e grandezas físicas, aplicabilidade, eficiência e relação custo x benefício).

Preparo do Sistema de Canais Radiculares

1. Filosofia correlacionado a dentes vitais ou necrosados;
2. Condições anatômicas limitadoras ao preparo do canal (curvatura, dilacerações, canais amplos, rizogênese incompleta, canais achatados e canais em forma de “C”);
3. Princípios Cérvicos Apicais;
4. Avaliação crítica relacionada ao confronto de técnicas seriadas convencionais com técnicas escalonadas (Cérvico-Apical e Ápico-Cervical);
5. Indicações e limitações;
6. Avaliação comparativa dos instrumentos Gattes-Glidden e largo;

Instrumentos Mecanizados (Sistemas Rotatórios e Reciprocantes)

1. PathFiles: Uma Nova Série de Instrumentos Rotatórios de Níquel-titânio para o Pré-Alargamento Mecânico e Glide Path
- Secção e Capacidade de corte
- Sequencia de Instrumentação
2. Instrumentos ProGlider;
3. ProTaper Next
- Formas de Uso do PTN
4. Sistema Rotatório MTwo
- Sequencia de Preparo do Canal Radicular
- Instrumentos Complementares
5. Sistemas Rotatórios K3 e K3XF
- Desenho da secção transversal e simetria
- Presença ou ausência de guia radial
- Presença ou ausência de angulo de corte positivo, neutro ou negativo
- Processo de fabricacao
- Largura e profundidade da espira
- Angulo helicoidal
- Presença ou ausência de áreas de escape por trás da guia radial
- Ponta ativa versus nao cortante
- Conicidade fixa, variável ou sem conicidade
- Comprimento das espiras na secção longitudinal
- Controle Tátil
6. Race FKG
- Race e Sequencias
- Bio Race - Sequência Endodôntica Biológica
- Protocolo Clínico Básico iRace
- Protocolo Clínico Básico BT-Race
- Filosofia de Trabalho
- Protocolo Clínico de Trabalho
7. Hyflex CM - Lima de Níquel-Titânio com Memória Controlada
- Evidências Científicas
- Protocolo de Uso
8. Revo S - Instrumento de Secção Assimétrica
- Evidências Científicas
- Protocolo de Uso
9. TF Adaptive - Um Novo Enfoque para o Preparo
- Tecnica do TF Adaptive;
- Acesso Coronario e Glide Path
10. Sistema Reciprocante de Lima Única Wave One
- Desenho do Wave One;
- Movimento Reciprocante;
- Tecnica de Preparo com Wave One
11. Sistema de Lima Única Reciprocante Wave One GOLD
- Novo Desenvolvimento;
- Metalurgia Avançada;
- Características no Desenho;
- Movimento Reciprocante;
- Técnica de Preparo
12. Preparo do Sistema de Canais Radiculares com o Sistema Reciproc
- Tecnica
- Protocolo de Uso
13. One Shape New Generation
- Características;
- Evidências Científicas;
- Protocolo de Uso
14. Easy Pro Design Logic
- Protocolo de Uso

Medicação Intracanal

1. Introdução
2.Princípios Fundamentais:
- Importância
- Objetivos: - controle microbiológico; Controle da reação inflamatória
3. Medicação Intracanal: (Indicações e Modus Operandi)
- Polpa Viva: Ápice aberto; Ápice Fechado: exposição acidental, exposição por cárie; pulpite aguda; pulpite crônica
- Polpa Morta: Ápice aberto; Ápice Fechado: canal sem instrumentação; canal instrumentado; dente em fase aguda; dente em fase crônica; drenagens constantes
- Lesões Refratárias:
Indicações dos fármacos: Rifocort; NDP; PRP; Paramonoclorofenal canforado; hidróxido de cálcio; iodofórmio
4. Avaliação pós-operatória
Complementação Medicamentosa na busca da Desinfecção:
-Medicação intra e extra-canal com vistas à destruição do ecossistema, bem como a indicação de fármacos de ordem sistêmica no sentido de preparar o paciente para a fase cirúrgica;
-Apresentação, composição, propriedades, indicações e limitações de fármacos como: PRP, NDP, Hidróxido de Cálcio, Iodofórmio. 

Obturação do Sistema de Canais Radiculares:

1.Finalidades da obturação;
2. Momento oportuno para a obturação;
3. Limite apical da obturação;
4. Tipos de materiais obturadores:
- Pastas;
- Cimentos;
- Plásticos;
- Sólidos

5. Requisitos dos materiais obturadores:
- Radiopacidade;
- Não alterar a cor da coroa;
- Adequado tempo de trabalho;
- Estabilidade dimensional;
- Insolúvel nos fluidos orgânicos;
- Adaptar-se às paredes do canal;
- Biocompatibilidade;
- Ação antibacteriana;
6. Modus Operandi
- Considerações em torno da irrigação/aspiração;
- Adaptação do cone principal à região apical;
- Considerações acerca do cimento obturador;
- Limpeza da cavidade;
- Inserção do material obturador;
- Selamento;
-Princípios, Pré-requisitos e Objetivos;
-Abordagem dos diferentes tipos de cimentos obturadores resinosos e não resinosos com e sem ataques ácidos;
-Técnicas da condensação lateral;
-Técnicas da condensação vertical;
-Técnicas dos cones com conicidade variadas;
- Técnicas termo-plastificadas: Thermafil, System B, Ultrafill, Trifecta e Obtura.
- Técnica do cone único 

Cirurgia Paraendodôntica
1. Introdução
2. Indicações
3. Contra-indicações de ordem local e de ordem geral
4. Preparo do paciente
5. Planejamento cirúrgico
6. Arsenal de instrumentos para cirurgia paraendodôntica
-Tipos de cirurgias
- Curetagem Apical
- Apicectomia
- Retroinstrumentação e obturação retrógrada
- Técnicas de sutura
- Cuidados pós-operatórios imediatos e mediatos
- Proservação
7. Conduta hospitalar

Módulo Blindagem Coronorradicular com pinos de fibra de vidro (dentes anteriores e posteriores)

1. Diagnóstico, indicação e planejamento;
2. Classificação de cavidades de dentes tratados endodonticamente;
3. Seleção do(s) conduto(s) de acordo com a perda de estrutura dentária e classificação das cavidades;
4. Protocolos e Técnicas;
5. Preparo do conduto:
-Remoção do material obturador
-Seleção do(s) conduto(s)
-Medidas
-Pontas de ultrassom
-Técnica da lima 80
- Limpeza e desinfecção da cavidade
- Preparo do conduto para cimentação de acordo com os sistemas adesivos
6. Pinos de Fibra de Vidro
- Tamanhos, forma e quantidade
- Seleção
- Preparo para cimentação
7. Pinos de Fibra e vidro reanatomizado com resina composta
8. Cimentação
- Cimentos resinosos
- Sistemas Adesivos
- Fotopolimerização
9. Blindagem Coronária sem pinos de fibra de vidro
- Núcleo de preenchimento com resina composta
10. Clareamento interno e Blindagem
- Restaurações em dentes tratados endodonticamente
- Pinos de fibra – Sistema CAD/CAM – Limitações, Vantagens e Desvantagens
- Fatores que podem interferir no prognóstico da blindagem coronorradicular
11. Oclusão
12. Adesão
13. Resistência da estrutura dentária remanescente

Ultrassom em Endodontia

1. Introdução - uso do ultrassom na Odontologia
2. Tipos de aparelhos de ultrassom
3. Tipos de insertos ultrassônicos
4. Aplicação clínica- protocolo de uso
5. Cirurgia de acesso - refinamento da câmara pulpar-localização de canais calcificados - remoção de nódulos pulpares
6. Irrigação passiva ultrassônica (PUI), limpeza de istmos
7. Obturação - corte da guta percha e condensação
8. Retratamento - remoção de guta percha; remoção de instrumentos fraturados; auxílio na remoção de pinos intra radiculares e coroas protéticas
9. Blindagem- remoção da guta percha preparo do conduto
10. Cirurgia paraendodôntica- apicetomia e retropreparo
11. Encaixe dos insertos

Traumatismo Dental e Rizogênese Incompleta
1. Tratamento de dentes com vitalidade pulpar
2. Tratamento de dentes necrosados
3. Lesões traumáticas dos tecidos dentais
Conteúdo
1. Epidemiologia
2. Etiologia
3. Exame do paciente: clínico e radiográfico
4. Manifestações pulpares
5. Classificação das lesões traumáticas dos tecidos dentais (definição, sinais e sintomas, tratamento e prognóstico):
- Fratura coronária do esmalte;
- Fratura coronária de esmalte e dentina sem exposição pulpar;
- Fratura coronária de esmalte e dentina com exposição pulpar;
- Fratura corono-radicular sem exposição pulpar;
- Fratura corono-radicular com exposição pulpar;
- Fratura radicular.

Medicação Sistêmica

1. Considerações gerais;
2. Transporte das drogas:
- Ativo;
- Passivo;
- Pinocitose;
- Difusão através da fase aquosa;
- Difusão através da fase lipídica.
3.Adsorção;
4. Distribuição;
5.Tipos de drogas segundo o mecanismo de ação:
5.1 - Analgésicos: narcóticos (ação sobre o SNC); não narcóticos;
- Anti-inflamatórios: esteróides; enzimáticos; não esteróides/não enzimáticos;
- Derivados pirazolônicos;
- Derivados do ácido antranílico;
- Derivados do ácido propiônico;
- Diclofenacos;
- Benzidamina.
5.2. Antibióticos:
- Cefalosporinas;
- Metampicilinas;
- Ampicilinas;
- Doxicilinas;

Drogas Que Controlam a Dor
Mecanismo de Ação

Medicação Sistêmica em Endodontia

1. Quando Indicar?
- Pulpite Reversível
- Pulpite lrreversível
- Pericementite Primária
2. Que Indicar?
- Reações Adversas Efeitos Colaterais
3. Antibióticos
- A infecção endodôntica
Quando e porque prescrever um antibiótico
Como escolher o antibiótico ideal 
Como prescrever
Penicilinas
Macrolídeos
Cefalosporinas
Clindamicina
Metronidazol

Diagnóstico em Endodontia

1. Introdução;
2. Exames laboratoriais e sua importância na Endodontia
- Exames Hematológicos: hemograma; eritrograma; leucograma; plaquetas; dosagens bioquímicas do sangue; glicemia; proteínas totais; coagulograma: contagem de plaquetas; tempo de coagulação; tempo de sangria; tempo de protrombina; prova de resistência capilar; bacteriologia; bacterioscopia; cultura; antibiograma; pesquisa de fungos; teste bacteriológico em Endodontia; provas sorológicas;
3. Fatores sistêmicos relacionados ao tratamento endodôntico;
- Insuficiência hepática;
- Insuficiência renal;
- Cardiopatias;
- Tuberculose, sífilis e infecções;
- Senilidade
- Estados convalescentes de doenças debilitantes;
- Estado neurológico ou psicogênico;
- Neoplasias malignas;
- Distúrbios nutricionais;

Histofisiologia da Polpa e do Periápice

Conteúdo

Princípios Físicos, Biológicos e Microbianos Relacionados ao Sucesso da Terapia Endodôntica:

Processos inflamatórios e seu desenvolvimento patológico correlacionado ao diagnóstico;

Ecossistema microbiológico do canal radicular e do periápice: correlações e manifestações patológicas passíveis de terapia ou lesões refratárias;

Dentes com lesões apicais extensas, áreas de reabsorção periapical e presença de exsudato intermitente;

Dor, natureza e interpretação;

Recursos semiotécnicos tradicionais e de última geração: gás refrigerante, cintilografia, laser doppler e fluxometria.

Elementos estruturais:
- Celulares: células mesenquimais indiferenciadas; odontoblastos; fibroblastos; cél. de defesa
- Extracelulares: substância fundamental; fibras
Circulação Pulpar
- Sanguínea
- Linfática
Inervação da Polpa
- Tipos de fibras nervosas: mielínecas - tipo A; amielínicas - tipo C
Mecanismo Hidrodinâmica
Permeabilidade dentinária
Alterações pulpares
Histofisiologia do Periápice

Módulos Correlacionados ao Especialista:

Urgências em Endodontia

Estética – Clareamento Dental;

Tratamento de Perfurações: Técnica e Biotecnologia de Materiais;

Ética com o paciente e ética entre os profissionais, relações entre clínicos e especialistas

Avaliação do Sucesso e Insucesso do Tratamento Endodôntico

Metodologia de Pesquisa.

Uso do Laser no Tratamento Endodôntico

Endodontia Biológica- Revascularização e Osteoindução

Microscopia Endodôntica  

Tomografia em Endodontia

Materiais Biocerâmicos

1. Definição
2. Classificação dos materiais: bioativo, bioinerte
3. Cimentos biocerâmicos para casos complexos:
- Tipos: Biodentine, Bio C Repair, MTA, MTA HP Repair, Pro Root
- Composição química;
- Propriedades químicas, físicas e biológicas;
- Indicações e contra indicações;
- Manipulação
4. Cimentos biocerâmicos para obturação endodôntica:
- Tipos: Bio Root RCS, Bio C Sealer, EndoSequence, IRoot SP, ProSmart, Cimento Agregado Trióxido Mineral (MTA Fillapex, Endo CPM Sealer)
- Composição química;
- Propriedades químicas, físicas e biológicas;
- Indicações;
- Manipulação
5. Casos clínicos
6. Workshop demonstrativos de materiais biocerâmicos

Bioética

Metodologia do trabalho científico

Ética e legislação odontológica.

PARAMENTAÇÃO E BIOSSEGURANÇA
- Avental 
- Máscara descartável 
- Luva descartável
- Óculos de proteção (paciente/aluno)
- Sobreluvas
- Campo descartável para mesa clínica e kart
- Gorro descartável (paciente/aluno)
- Babador plástico para paciente
- Sacos plásticos para proteger AR, BR, seringa tríplice e sugador
- Filme PVC
- Estojo para brocas

MATERIAL PARA ODONTOMETRIA 
- Lupa 5,5 cm de diâmetro
- Régua plástica de 15 cm
- 1 pacote de stop/cursor de silicone de 1mm 

MATERIAL CLÍNICO 
- 2 bandejas clínicas (11x20 cm)
- 3 pinças clínicas
- 3 exploradores nº 5 ponta reta
- 3 exploradores nº 5 ponta angulada
- 3 sondas exploradora reta KOTA/ODOUS DE DEUS (opcional)
- 3 carpules
- 3 espelhos planos nº 3 Front surface
- 3 espelhos planos nº 5 Front surface
- 3 curetas duplas haste longa nº 17
- 3 curetas duplas haste longa nº 19
- 3 espátulas de inserção de cimento
- 3 réguas metálicas endodônticas
- 1 pinça hemostática
- 1 espátula nº 50 LIMAS
- 1 cx lima 08-21 mm
- 2 cx lima 08-25 mm
- 1 cx lima 10-21 mm
- 2 cx lima 10-25 mm
- 1 cx lima K 15-21 mm
- 2 cx lima K 15-25 mm
- 1 cx lima K 21 mm 1ª série (15-40)
- 2 cx lima K 25 mm 1ª série (15-40)
- 2 cx lima K 25 mm 2ª série (45-80)
- 1 cx lima K 31 mm 1ª série (15-40)
- 1 cx lima K 31 mm 2ª série (45-80)
- 1 cx lima HEDSTROEM 25 mm 1ª série
- 2 cx lima FLEXOFILE 21 mm 1ª série (15-40)
- 2 cx lima FLEXOFILE 25 mm 1ª série (15-40)
- 1 cx lima Ni-Ti manual 25mm 1ª série
- 1 cx lima PROTAPER rotatória 21 mm
- 2 cx lima PROTAPER rotatória 25 mm
- 1 lima PROTAPER F4 25 mm
- 1 lima PROTAPER F5 25 mm
- 1 cx lima PROTAPER RETRATAMENTO
- 1 caixa de lima SX
- 2 blisters lima Wave One (21 e 25 mm)
- 2 blister lima Reciproc (21 e 25 mm)
- 2 blisters ProTaper Next
- 3 caixas de lima Path File
- broca 1012 HL
- broca 3118
- 3 triple gates
- 1 caixa cone papel Wave One
- 1 caixa cone papel Reciproc
- cone 06 n 30, 35, 40
- fixador em frasco com tampa (uso individual)
- maçarico como alternativa à lamparina+isqueiro
- pontas de ultrassom E2D, E7D, E5, E3D, irrisonic 

BROCAS
- brocas esféricas diamantadas: 1014HL, 1016HL (3 de cada)
- 3 brocas ENDO Z (Maillefer)
- brocas Gates Gliden nº 1, 2, 3 (6 de cada)
- brocas Gates Gliden nº 4, 5, 6 (1 de cada)
- brocas esféricas carbide pescoço longo nº 2, 3, 4 (2 de cada)
- 1 broca transmetal 702 - 2 brocas diamantadas em forma de pera - brocas tronco cônicas diamantada nº 3083, 3195, 4084 (1 de cada) - 1 broca tronco cônica invertida 1045 - 1 jogo lentulo 

MATERIAL PARA ISOLAMENTO 
- 1 bandeja clínica 20X30 cm
- 1 perfurador tipo Ainsworth
- 3 pinças porta grampos tipo Palmer
- 3 arcos de Ostby
- lençol de borracha
- grampos: 12ª, 13ª, 14ª, 14, 201, 207, 209, 211 (SSW ou HuFrieed)
- fio dental
- caneta hidrográfica
- super bonder (melhor em gel)
- tira de lixa de aço
- taça de borracha e pasta profilática (profilaxia pré atendimento)
- rolete de algodão
- vaselina sólida
- Top Dan ou similar

MATERIAL PARA IRRIGAÇÃO E ASPIRAÇÃO
- 3 seringas plásticas descartáveis 10 ml (ponta rosqueável)
- intermediário metálico ou similar (para acoplar pontas de aspiração)
- 1 kit de irrigação/aspiração ULTRADENT contendo: 5 pontas ENDO EZE, 5 pontas White Mac, 2 microaspiradores Luer vacum, 5 pontas Capilary Tip verde ref 186, 5 pontas Capilary Tip roxa ref 341, 5 pontas Navi Tip amarela, 2 seringas 5 ml (embolo silicone).

SUGESTÃO PARA AQUISIÇÃO
KIT ULTRADENT E MATERIAL ENDODÔNTICO EM GERAL: www.novaendovita.com.br ou com Edgar no fone 98518-9254 ou email edgar@novaendovita.com.br 

MATERIAIS DIVERSOS
- Caneta alta rotação
- micromotor com contra-ângulo
- agulhas descartáveis para anestesia
- placa de vidro
- 10 colgaduras pequenas
- 1 colgadura grande (opcional)
- sugador descartável
- filme radiográfico periapical
- 1 pasta com envelopes plásticos para fichas e RX de cada paciente
- cartela com 5 furos para radiografia ou similar
- frasco com tampa para fixador e água (para mesa clínica)
- gaze
- gás refrigerante para teste térmico
- porta amálgama
- lamparina (limpa e em bom estado)
- isqueiro
- porta resíduos
- porta algodão
- clean stand
- 1 jogo de posicionador para radiografia tipo Hanshin
- 1 mandril para disco de carborundum
- 1 articulador para dentes naturais

MEDICAÇÕES E FÁRMACOS
- 1 tubete NDP
- 1 tubete PRP
- EDTA T (frasco 500 ml ou mais se desejar)
- Hipoclorito de Sódio 2,5%
- Iodofórmio
- Hidróxido de Cálcio PA
- Pomada carbowax
- Endo PTC gel leve
- cimento provisório (Cimpat, Coltosol, Citodur ou similar)
- cimento de ionômero de vidro (Maxxion ou SSW)
- cimento para selamento (IRM ou Fosfato de Zinco - opcional)
- algodão em bolinhas estérelizadas para medicação intra canal 

SUGESTÃO PARA AQUISIÇÃO DE FÁRMACOS: Farmácia de manipulação Fórmula e Ação (www.formulaeacao.com.br)

MATERIAL PARA OBTURAÇÃO
- 1 bandeja clínica 20X30 cm
- lâmina de bisturi nº 15 e cabo para bisturi
- 1 jogo de espaçador digital 21 mm
- 1 espátula flexível nº 24
- cones de guta percha 06 nº 25, 30, 35
- cones de guta percha acessórios 1 cx RS sortido ou 1cx MF, FM, M
- 3 jogos de calcadores tipo Paiva
- 1 tesoura MT 125
- 2 potes Dapen
- 1 cimento Endo-fill

Outros Cursos

1) Esp. em Endodontia+Cap. em Blindagem de Dentes Tratados Endodonticamente

Natureza: Teórico/Laboratorial/Clínico

Periodicidade: Semanal

Local: FAOA/APCD Central

1.015 Horas

Saiba mais

2) Esp. em Endodontia+Cap. em Blindagem de Dentes Tratados Endodonticamente

Natureza: Teórico/Laboratorial/Clínico

Periodicidade: Quinzenal

Local: APCD Jundiaí

1.015 Horas

Saiba mais